Os 5 mitos sobre o abusador

Ele é inseguro. Está desequilibrado. Ele se sente mal quanto a ele mesmo e eu preciso ajudar a aumentar sua autoestima. Ele faz isso porque tem traumas

Qual dessas frases você já repetiu para si mesma na tentativa de relativizar e justificar o abuso em seu relacionamento? Se algumas dessas palavras já foram ditas ou pensadas, o texto de hoje é para você. Vamos juntas desmistificar os mitos e verdades sobre o abusador e lembrá-la que a esperança que está sentindo em sua mudança ou nas desculpas para a violência, também é um dos efeitos psicológicos do abuso. 

O que há por trás das ações do abusador?

O homem abusivo vai funcionar como um mágico, ele vai fazer um monte de truques pra você olhar na direção errada e distrair sua atenção para que os seus olhos se afastem da verdadeira causa de seu abuso: a forma como ele pensa. 

Ele quer que você ache que ele é uma máquina quebrada e que você só precisa corrigir as peças defeituosas, para trazê-lo ao seu total potencial. Mas, seu desejo, embora ele não admita nem para si mesmo, é que você se quebre e assim não note os padrões e lógica de seu comportamento, a consciência por trás da “loucura”. Por isso, para desviar ainda mais o seu olhar, ele vai trabalhar para moldar a sua visão acerca das relações passadas dele como, por exemplo, nunca ter contato direto com as ex ou, caso aconteça, ele garantirá que você já esteja preparada para desacreditar em tudo que ela disser de negativo sobre ele. 

Acima de tudo, o homem abusivo quer evitar que você saiba do abuso dele. Então, ele tenta encher a sua cabeça com distorções e desculpas e te mantém pesada, se culpabilizando e duvidando de si mesma. E, infelizmente, grande parte da sociedade tende a segui-lo desavisadamente. Essas pessoas ajudam o abusador a fechar os seus olhos e os olhos dele para o problema. 

O abusador e seus mitos

Os mitos sobre o abusador têm sido criados pelos próprios abusadores na sociedade moderna. Homens abusivos criam desculpas para suas ações, responsabilizando e culpando  parceiras, parentes, terapeutas, pesquisadores e estudiosos do tema. Mas é um erro grave permitir que abusadores analisem e expliquem seus próprios problemas. Eles não são fontes confiáveis de insights. Dessa forma, por que deveríamos deixar que um homem controlador seja autoridade quando o assunto é abuso/relacionamentos abusivos? 

Se você encontrar algumas similaridades com a sua realidade, à medida que ler esse texto, saiba que você não está sozinha. Alertamos também, que é possível que sinta muita raiva no decorrer da leitura, principalmente da Não Era Amor, pois estamos trazendo à luz verdades que podem, sim, ser esmagadoras para quem está passando por isso. A nossa dica é que fique até o final e pense que a cada mito que tiramos da estrutura de equívoco sobre homens abusivos, um tijolinho está esperando para tomar seu lugar. Quando terminarmos de listar os 5 mitos sobre o abusador, seu parceiro vai encontrar muito mais dificuldade em jogar fora seu equilíbrio e confundi-la, e seu  relacionamento vai fazer sentido para você talvez de uma forma que nunca tenha feito antes. 

 Ele sofreu abuso quando criança e precisa de terapia.

Já ouviu aquela desculpa de que ele faz com você o que a mãe dele fazia com ele? Bem, múltiplos estudos examinaram se homens que abusam de mulheres tendem a ser sobreviventes de abuso infantil e a resposta é que não encontraram quaisquer evidências disso. A única exceção são aqueles abusadores que são brutalmente violentos fisicamente e têm histórias sobre terem sido abusados quando crianças. Em outras palavras, uma infância ruim não causa abusador, mas pode contribuir para um homem que abusa ser especialmente  perigoso. 

Nesses casos, o mais comum é que o abusador comece a culpar uma mulher, como a própria mãe, por seus maus tratos às mulheres. Essa explicação também pode confortar a parceira abusada, pois uma vez que ela tem raiva da mãe dele, é uma raiva mais segura, já que direcionar o sentimento para o abusador sempre faz com que o abuso venha mais forte. Nesse aspecto, a psicologia também tem reforçado bastante a questão: é mais fácil para o abusador simplesmente colocar o problema aos pés da mãe do homem, ao invés de responder uma série de perguntas desconfortáveis sobre os homens e sobre muito do pensamento masculino. Mas a verdade é que se ser abusivo fosse produto de danos emocionais na infância, eles poderiam ultrapassar esse problema com psicoterapia.

Ele teve uma ex que o maltratou terrivelmente e agora ele tem problemas com mulheres por isso

Você já pensou: ah, mas ele é um homem maravilhoso, foi uma ex que fez com que ele ficasse assim? Então, vamos lá desmistificar mais um mito: o abusador quando conta da destruição emocional que sua ex esposa ou ex namorada fez com ele pode ter um impacto poderoso na parceira atual. Na versão mais comum, o homem conta como sua ex-parceira quebrou seu coração ao traí-lo, talvez com vários homens diferentes. E se você perguntar como ele descobriu, ele responde que “todo mundo” sabia sobre isso ou que seus amigos lhe contaram. Ele também pode dizer: “Eu a peguei me traindo”. Mas quando você pressiona sobre o que ele realmente viu, muitas vezes a fala se transforma em que ele não viu nada, ou que não a viu traindo exatamente. É comum também que ele descreva outras feridas como:  ela tentou controlá-lo, ela não o deixava ter qualquer liberdade, ela virou os filhos deles contra ele, ela até mandou prendê-lo por vingança. O que ele está descrevendo geralmente são seus próprios comportamentos, mas ele atribui  à mulher, para que ele seja a vítima. Ele pode ganhar a simpatia/empatia de sua nova parceira, especialmente porque tantas mulheres sabem como é ser abusada -infelizmente- então elas podem se conectar com sua angústia.

O homem abusivo pode usar um rico conjunto de desculpas sobre seus relacionamentos anteriores para controlar as amizades da parceira ou acusá-la de estar traindo ele ou dizer que não quer se envolver, que não quer ser controlado pq a ex o controlava, e etc. Ele pode adaptar uma desculpa para qualquer um de seus comportamentos controladores. Então, vamos à um princípio básico para colocarmos em mente em relação a esse tema: se for uma desculpa para maltratar e abusar você, é uma distorção. Um homem que foi genuinamente maltratado e abusado em um relacionamento com uma mulher não usaria aquela experiência para escapar de  ter ferido alguém. 

Ele é muito nervoso. Ele precisa aprender controle emocional da raiva, regulação emocional, autocontrole…

Quando pessoas concluem que a raiva causa abuso, elas estão confundindo causa e efeito/consequência. O homem não é abusivo porque estava com raiva, ele estava com raiva porque era abusivo.

Vamos aos fatos como eles são: todo mundo fica com raiva. Na verdade, a maioria das pessoas passa, pelo menos ocasionalmente, por momentos em que está furiosa, desproporcional ao evento real ou além do que é bom para sua saúde. Alguns têm úlceras, ataques cardíacos e hipertensão. Mas eles não abusam necessariamente de seus parceiros

A raiva explosiva do agressor pode desviar sua atenção de todo o desrespeito, irresponsabilidade, mentiras e outros comportamentos abusivos e controladores que ele exibe, mesmo em momentos em que não está especialmente chateado. Talvez suas formas de abuso mais barulhentas, óbvias ou intimidadoras surjam quando ele está com raiva, mas seu padrão mais profundo está operando o tempo todo.   

Ele sofre de baixa autoestima, precisa aumentar a sua segurança e melhorar a sua autoimagem.

Um homem é abusador porque se sente mal sobre si mesmo? Para responder essa pergunta vamos à uma análise: uma mulher abusada tende a gastar uma energia preciosa para apoiar seu parceiro abusivo e massagear seu ego, na esperança de que, se suas vontades forem satisfeitas, a próxima explosão e o próximo abuso será evitado. Tal estratégia, utilizada pela maioria das mulheres que estão em relacionamentos abusivos, não funciona porque não é possível gerenciar um abusador, exceto por breves períodos. Elogiá-lo e validar muito sua opinião sobre si mesmo, pode lhe dar algum tempo, mas, mais cedo ou mais tarde ele vai voltar a te despedaçar.

Quando você tentar melhorar os sentimentos de um abusador sobre si mesmo, o problema dele tende a piorar. Quanto mais atenção positiva um homem abusivo recebe, mais exige. Ele nunca chega a um ponto em que está satisfeito, em que lhe foi dado o suficiente. Em vez disso, ele se acostuma com o tratamento luxuoso que está recebendo e logo aumenta suas demandas. Ou seja, o mito de pensar que o abusador tem baixa autoestima é recompensador para ele, porque faz com que sua parceira, seu terapeuta e outras pessoas o atendam emocionalmente.

Ele é louco, ele tem problema mental e precisa ser medicado, ele é sociopata, psicopata, borderline e narcisista 

Para que esse mito caia por terra, vamos pensar que não é o psicológico do abusador que está com problemas, mas sim o seu sistema de valores que não é saudável.

A literatura e pesquisas da área indicam que os agressores físicos mais extremos – aqueles que sufocam, enforcam suas parceiras até a inconsciência, que apontam armas para suas cabeças, que perseguem e matam – têm taxas aumentadas de doença mental. Mas não há nenhum problema de saúde mental em particular que seja típico desses agressores severos, eles podem ter uma variedade de diagnósticos, incluindo psicose, personalidade limítrofe, depressão maníaca, personalidade anti-social, transtorno obsessivo-compulsivo e outros.

Como todos esses transtornos mentais diferentes podem causar padrões de comportamento semelhantes? A resposta é: eles não causam. A doença mental não causa abuso mais do que o álcool. O que acontece é que o problema psiquiátrico do homem interage com seu abuso para formar uma combinação volátil, instável e perigosa. Se ele estiver gravemente deprimido, por exemplo, ele pode parar de se preocupar com as consequências que suas ações podem ter, o que pode aumentar o perigo de que ele decida cometer um ataque sério contra sua parceira ou filhos. Um abusador mentalmente doente tem dois problemas separados – embora inter-relacionados, assim como o alcoólatra/alcoolista ou o adicto/viciado em drogas. 

O livro de referência para condições psiquiátricas, o Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM-V), não inclui nenhuma condição que se adapte bem a homens abusivos. Um homem cujos comportamentos destrutivos se limitam primeiro/primariamente ou inteiramente a relacionamentos íntimos é um abusador, não um paciente psiquiátrico.

Desmistificando mitos no dia a dia

Agora que terminamos nossa tour pelo museu de mitos sobre homens abusivos. Você pode estar achando difícil deixar esses equívocos para trás. Tudo bem, nós mesmo fomos apegadas aos nossos próprios mitos anos atrás, mas os próprios abusadores continuaram nos forçando a olhar para a realidade. Por isso, listamos mais 5 pontos para você pensar e continuar desmistificando essas ideias aos poucos, em seu dia a dia:

  1. Problemas emocionais/psicológicos do homem abusador não causa abuso. Você não pode mudá-lo descobrindo o que é que o incomoda, ajudando-o a se sentir melhor ou melhorando a dinâmica do seu relacionamento.
  2. Sentimentos não governam o homem abusivo ou controlam o comportamento dele. Sentimentos não causam abuso. Crenças, valores enraizados e hábitos são as forças motrizes.
  3. As razões e explicações que um homem abusivo dá para seu comportamento são simplesmente desculpas para te distrair. Não há como (é impossível) superar um problema com abuso concentrado nas variáveis como autoestima, resolução de conflitos, controle da raiva ou controle de impulsividade.
  4. Abusadores prosperam criando confusão mental, incluindo confusão sobre o abuso em si.
  5. Não há nada de errado com você. O problema de abuso do seu parceiro é um problema dele. 

Fonte: Lundy Bancroft

Redação: Thay Tanure, Redatora da Não Era Amor

Conteúdo e revisão: Fábio Iannini, Psicólogo da Não Era Amor, e Pollyanna Abreu, Psicóloga e Fundadora da Não Era Amor